CHAOS-GNOSTICISM

Chaos-Gnosticism assumes itself as the Primordial Adversary Knowledge feared by the demiurge’s minions and is the liberation of the Spirit by the Will, by self-knowledge, by fighting the demiurge and by disobeying his laws.

It is a divergent concept from Gnosticism, not admitting the figure of a savior, the light or continuity of life. It is called Chaos Gnosis or Chaos-Gnosticism because it represents the knowledge gained through Chaos that arises as the Spirit that fights combat in itself, destroys the chains of illusion.

Chaos-Gnosticism is not based on faith and is not received as a supposed revelation or enlightenment from some divinity.

Chaos Gnosis is an achievement that depends exclusively on the Spirit that promotes intense intellectual combat and methodical examination of human reality, in the practice of mythological deconstruction and that finds in itself the plot created to keep the Spirit captive and in a hypnotic state. This achievement awakens the Spirit and frees him from the bonds of time and space, conquering the power of needlessness.

Here are some statements from our Chaos Gnosis:

We live in a dome created and commanded by a madman: the demiurge. That, closing in on itself, imprisoned part of Chaos itself, dividing this energy into sparks of Spirit that vitalized the matter and the order created by it.

The Great Ancient Serpent, Chaos himself, launched a strong jet of his Poison into this dome and this Poison flowed through creation becoming the Great Poison Green that is both an Entity and Spiritual Force at the same time and this Entity / Force initiated the awakening of the captive Spiritual sparks, until they became the Opponents of creation.

For ages the Adversaries of creation used destruction as a strategy to combat the demiurge and his hosts, but with each destruction, the demiurge taking advantage of the molecules of matter impregnated with sparks of Spirit, continued to create and divide his creation in various existential dimensions and diverse vibrational levels of matter, as a means of fighting Opponents and keeping Spirits dormant and captive.

The Great Poisonous Green then began a new strategy of combat: the infestation of the Opponents of creation in the dimensions created for the Opponents to manifest themselves to the imprisoned Spirits, assisting them in their awakening.

In this form of combat, instead of the destruction and the consequent supply of matter enriched by the energy of the Spirits to the demiurge and their archons, the awakening and liberation of these Spirits “empties” the matter of the spiritual spark that strengthens and maintains it, preventing the demiurge and its archons to feed on the energy of enslaved spirits, to sustain the order of imperfect creation and to dissolve the protective shell and exposing the demiurge and his archons to be devoured by the Great Ancient Serpent.

CHAOS AB ORDO

NECROGNOSE

Eu mato-vos a todos.

Inscrição no Ankou do batistério de La Roche-Maurice, França.

Todo o ser a partir do momento em que é gerado está fadado à morte. A matéria em qualquer nível vibracional ou dimensional em que esteja perece, esta é a morte comandada por azazel, o anjo da morte e responsável pela colheita da energia material que foi refinada pelo Espírito enclausurado e que serve de alimento ao demiurgo e seus arcontes e a manutenção do seu sistema tirânico.

Azazel que tem diversos nomes nas diversas culturas é o arconte-carrasco e o responsável por separar a matéria enriquecida e o Espírito, enviando o Espírito novamente para o cárcere da matéria perpetuando a roda da reencarnação/escravidão. Basicamente a morte da forma demiúrgica é o mecanismo de controle do Espírito. Esta forma de controle é diferente para cada estado da matéria, uma vez que cada estado da matéria tem função diferente na manutenção da criação no nível dimensional/vibracional em que se encontra, portanto o tempo em que o Espírito fica enclausurado é regulado por cronos até o tempo da colheita por azazel, impedindo desta forma, ou supondo impedir, que o espírito desperte da armadilha de maya escapando da roda da escravidão.

A Necrognose é o profundo conhecimento deste mecanismo e a sua utilização como processo interno como meio de libertar o Espírito da roda da escravidão, simulando por meio de rituais de Bruxaria o processo da morte demiúrgica na mente do praticante até atingir o nível do mais profundo inconsciente, gerando a energia necessária para que ocasione o despertar do Espírito.

Necrognose ou conhecimento da morte é a Gnose desenvolvida no TEMPLO QUIMBANDA CEIFADORES.
Através dos rituais de Bruxaria praticados no Templo o praticante vai mergulhando no próprio abismo, causando a morte de si mesmo nos diversos níveis conscienciais, subvertendo assim a lei da morte demiúrgica.

CAOS GNOSTICISMO

O Caos-Gnosticismo se assume como o Conhecimento Adversário Primordial temido pelos asseclas do demiurgo e é a libertação do Espírito pela Vontade, pelo auto-conhecimento, pelo combate ao demiurgo e pela desobediência às suas leis.

É um conceito divergente do gnosticismo não admitindo a figura de um salvador, a luz ou continuidade da vida. É denominado como Gnose do Caos ou Caos-Gnosticismo pois representa o conhecimento conquistado através do Caos que surge conforme o Espírito que trava combate em si mesmo, destrói as cadeias da ilusão.

O Caos-Gnosticismo não é baseado em fé e não é recebido como uma suposta revelação ou iluminação provinda de alguma divindade.

A Gnose do Caos é uma conquista que depende exclusivamente do Espírito que promove intenso combate intelectual e exame metódico da realidade humana, na prática da desconstrução mitológica e que encontra por si só a trama engendrada para manter o Espírito cativo e em estado hipnótico. Esta conquista desperta o Espírito e o liberta das amarras de tempo e espaço, conquistando o poder da ausência de necessidade.

Escrevemos aqui algumas afirmações da nossa Gnose do Caos:

Vivemos em uma redoma criada e comandada por um louco: o demiurgo. Que fechando-se em si mesmo, aprisionou parte do próprio Caos, dividindo esta energia em fagulhas de Espírito que vitalizaram a matéria e a ordenação criada por ele .

A Grande Serpente Velha, o próprio Caos, lançou um forte jato de seu Veneno dentro desta redoma e este Veneno escorreu pela criação tornando-se o Grande Verde Venenoso que é uma Entidade e Força Espiritual ao mesmo tempo e esta Entidade/Força iniciou o despertar das fagulhas Espirituais prisioneiras, até que se tornassem os Adversários da criação.

Durante eras os Adversários da criação utilizaram a destruição como estratégia de combate ao demiurgo e suas hostes, porém a cada destruição, o demiurgo aproveitando-se das moléculas de matéria impregnadas de fagulhas de Espírito, continuava a criar e a dividir sua criação em várias dimensões existenciais e diversos níveis vibracionais da matéria, como meio de combater aos Adversários e de manter os Espíritos dormentes e cativos.

O Grande Verde Venenoso iniciou então uma nova estratégia de combate: a infestação dos Adversários da criação nas dimensões criadas para que os Adversários se manifestem aos Espíritos aprisionados, auxiliando-os no seu despertar.

Nesta forma de combate, ao invés da destruição e consequente fornecimento de matéria enriquecida pela energia dos Espíritos ao demiurgo e seus arcontes, o despertar e a libertação destes Espíritos “esvazia” a matéria da fagulha espiritual que a fortalece e a mantém, impedindo o demiurgo e seus arcontes de se alimentarem da energia dos Espíritos escravizados, de sustentar o ordenamento da criação imperfeita e dissolver a concha protetora e expondo o demiurgo e seus arcontes para que sejam devorados pela Grande Serpente Velha.

CHAOS AB ORDO